Banca

Nesta categoria poderás encontrar todo o conteúdo relacionado com a vida bancária e financeira. Dicas de finança pessoal, poupança, optimização de rendimentos, apoio ao investimento, créditos, formação empreendorismo. Sempre do ponto de vista do fornecedor de serviços, banco, como do cliente bancário.

99
Total Publicar
Apps para poupar em viagens!

Topo mensagens (Última semana)

Apps para poupar em viagens!
0 + votos - 0 - votos

Entrevista de emprego: 10 erros fatais!

Num momento em que a taxa de desemprego atinge níveis altos no país e em que centenas ou mesmo milhares de pessoas se gladiam por uma mesma oferta de trabalho é imperativo causares uma excelente impressão durante uma entrevista de emprego. E para conseguires impressionar positivamente o recrutador é necessário evitares alguns deslizes durante a entrevista. O teu Banco dá-te a conhecer os 10 erros fatais que mais frequentemente são cometidos durante uma entrevista de emprego e que podem comprometer o objectivo de conseguires o trabalho dos teus sonhos.

Slider

1. CHEGAR ATRASADO: Como se costuma dizer: só existe uma oportunidade para causares uma boa primeira impressão. Por muito bom que seja o teu currículo se chegares atrasado a uma entrevista de emprego causará uma imagem negativa. Os atrasos são sinónimo de desleixo e irresponsabilidade.

2. NÃO ESTARES PREPARADO: Para garantires que a entrevista será bem sucedida tens de fazer o teu trabalho de casa. Pesquisa informações sobre a história e a filosofia da empresa à qual te estás a candidatar. Usa estas informações para demonstrares que conheces a empresa.

3. VESTIRES-TE DE FORMA DESADEQUADA: Uma imagem vale mais do que mil palavras. Mas isso não significa que tens de ir a todas as entrevistas de fato e gravata. Se estiveres a concorrer para uma vaga de nadador Salvador, por exemplo, poderá ser exagerado compareceres vestido de fato e gravata. Mas se concorreres a um emprego numa instituição bancária não deverá ter um ar descontraído.

4. FALARES MAL DO ANTIGO EMPREGO: Guarda os desabafos e as amarguras relativas às tuas anteriores experiências profissionais para ti. Não digas que odiaste o teu anterior trabalho, ou o que o teu chefe era uma má pessoa. Tais inconfidências só jogarão contra a tua imagem.

5. COLOCARES QUESTÕES INCOVENIENTES: A revista Fortune publicou um artigo com as perguntas mais inconvenientes colocadas pelos candidatos a um emprego durante as entrevistas. Perguntas como “Para que serve este trabalho?”, “Posso tirar folga no meu dia de aniversário?” ou “Posso pedir um adiantamento do meu salário?” são alguns exemplos de questões a evitar.

6. DEMONSTRARES DEMASIADA AUTO-CONFIANÇA: Mostrares confiança nas tuas capacidades pode ajudar-te a mostrares à empresa que és realmente o candidato ideal para o lugar. No entanto, tenha cuidado ao mostrares e salientares os teus pontos fortes: não caia no erro de sobrevalorizares-te, pois o teu interlocutor poderá confundir confiança com arrogância.

7. NÃO MOSTRARES QUE ÉS A MELHOR ESCOLHA PARA AQUELE LUGAR: Se uma atitude demasiado confiante pode jogar contra ti, um comportamento demasiado passivo e modesto também não é uma boa estratégia. Tens de mostrar que és a pessoa ideal para o cargo em questão. Destaca os teus pontos fortes, estabelece contacto visual e cria empatia com o interlocutor.

8. NÃO PENSARES ANTES DE RESPONDERES: A ansiedade e o nervosismo levam muitos candidatos a precipitarem-se nas respostas que dão.Pensa e estrutura mentalmente a tua resposta antes de verbalizá-la.

9. NÃO COLOCARES QUESTÕES: É um sinal de motivação e de interesse dos candidatos quando eles próprios fazem perguntas sobre a empresa e sobre o processo de selecção. Por isso se tens alguma dúvida, não te sintas inibido de colocares questões.

10. MENTIRES: Diz o ditado que “mais depressa se apanha um mentiroso, do que um coxo”. Não mintas nem durante a entrevista, nem sobre o teu currículo, pois passarás a ideia de que és uma pessoa pouco honesta e confiável. Por exemplo, jamais diga que és fluente numa língua estrangeira, quando não dominas a língua.

1 de 5
  • Entrevista de emprego: 10 erros fatais! - image 1
  • Entrevista de emprego: 10 erros fatais! - image 2
  • Entrevista de emprego: 10 erros fatais! - image 3
  • Entrevista de emprego: 10 erros fatais! - image 4
  • Entrevista de emprego: 10 erros fatais! - image 5
  • Entrevista de emprego: 10 erros fatais! - image 6
  • Entrevista de emprego: 10 erros fatais! - image 7
  • Entrevista de emprego: 10 erros fatais! - image 8
  • Entrevista de emprego: 10 erros fatais! - image 9
  • Entrevista de emprego: 10 erros fatais! - image 10
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
5k

Os erros financeiros mais cometidos pelos jovens

Ouvir um “não” nunca é fácil. Especialmente para uma criança ou adolescente. No entanto, aprender a aceitar uma resposta negativa por parte dos pais é uma das mais básicas lições financeiras que uma criança poderá aprender. Não só porque pode aprender a dar valor ao dinheiro, mas também porque percebe o valor que a despesa poderá ter no orçamento da família. Incutir responsabilidades desde cedo na forma como se trata o dinheiro, pode evitar no futuro problemas graves que podem definir a vida do jovem adulto. Desta forma, o BCI apresenta-te alguns erros praticados numa idade jovem mas que podem influenciar a sua vida adulta.

Slider

1. NÃO TERES NOÇÃO DA IMPORTÂNCIA DA POUPANÇA: Aprender a poupar é um ponto bastante importante na vida futura do teu filho. Ter poupanças desde cedo poderá ajudá-lo a ir para a universidade, comprar um carro, fazer uma viagem ou permitir um investimento. Além disto, a poupança é importante para ajudar o teu filho a fazer face a imprevistos financeiros que o podem atingir.

2. NÃO ACOMPANHARES OS SEUS GASTOS: Seguires o rasto às suas despesas é uma maneira de perceberes onde está a gastar demasiado dinheiro. No entanto, este não é um hábito muito generalizado na maior parte dos jovens. Sendo que muitos jovens ainda vivem com os pais, muitos deles acabam por gastar toda a mesada que recebem sem terem a preocupação pelo controlo das despesas. Mas se ao fim do mês os jovens fizerem as contas ao quanto gastam em refeições fora de casa, cinema ou naquelas peças de roupa que não conseguiram resistir, irão perceber que uma parte do seu rendimento foi gasto em artigos ou serviços supérfluos. Ao terem consciência dos seus gastos será também mais fácil perceberem onde poderão cortar para futuras poupanças e utilizá-las para objectivos futuros.

3. NÃO SABEREM USAR O CARTÃO DE CRÉDITO: Se não são incutidos nos jovens limites nas suas compras, assim que ele atingir a idade adulta torna-se mais difícil respeitar os próprios limites. Limitar a quantidade de gastos é já de si um problema para quem não está habituado a orçamentar, mas com a utilização do cartão de crédito esta tarefa pode tornar-se num problema ainda maior. Para evitares situações de endividamento excessivo é importante que os jovens tenham em conta alguns conselhos para o uso correcto do cartão de crédito. Por exemplo, é importante escolher um cartão com um limite de crédito não muito elevado, adequado ao orçamento do jovem.

4. NÃO SABEREM INVESTIR: Investir o mais cedo possível é um conselho dado por muitos especialistas. Já que quanto mais cedo começarem a investir as suas poupanças de acordo com os seus objectivos e o seu perfil de investimento, mais depressa verão o seu pé-de-meia crescer. Contudo, para quem não conhece o mundo dos investimentos poderá ser difícil gerar mais-valias e facilmente perder parte do capital investido, deixando os jovens numa situação difícil para o futuro. Por isso mesmo é fulcral ter em conta alguns conselhos de investimento antes de tomar uma decisão sobre como devem aplicar o seu dinheiro. É importante escolherem os melhores produtos financeiros adequados ao seu perfil de investidor, saber diversificar as suas poupanças e ler a ficha informativa das aplicações financeiras antes de investir.

1 de 5
  • Os erros financeiros mais cometidos pelos jovens - image 1
  • Os erros financeiros mais cometidos pelos jovens - image 2
  • Os erros financeiros mais cometidos pelos jovens - image 3
  • Os erros financeiros mais cometidos pelos jovens - image 4
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
4k

Como preparar financeiramente a chegada de um bebé?

Antes da chegada de um filho convém te sentires preparado financeiramente para a despesa que ele acarreta. O BCI ajuda-te a perceberes como podes construir um orçamento para o teu bebé.

Slider

1. PREPARA-TE ANTES DE ENGRAVIDARES: Nem todos os filhos são planeados, mas se estás a pensar em engravidar podes começar por tomar alguns passos que ajudem a preparares o teu orçamento. Olha para as tuas poupanças e para o teu rendimento e verifica se consegues suportar financeiramente a chegada de um bebé. Faz contas aos gastos previsíveis: além das fraldas e da alimentação, não te esqueças das despesas de saúde e preveja já os encargos que terás quando colocares o teu filho numa creche. Para teres a certeza de que o teu orçamento está preparado para a chegada de mais um elemento experimenta viver durante alguns meses só contando com um salário de um dos elementos do casal. Além disto, se tens um seguro de saúde ou estás a pensar em subscrever um seguro desta natureza analisa se a apólice inclui a cobertura de parto e quais as condições em que poderás accionar esta cobertura.

2. ESTIPULA UM ORÇAMENTO PARA O BEBÉ: Decide primeiramente quanto queres gastar na compra de mobília para o quarto do bebé e na cadeira e carrinho de transporte, uma vez que estas serão as compras mais dispendiosas nos primeiros tempos. Pergunta aos teus familiares e amigos que têm filhos o que podem dispensar em roupa, brinquedos ou até outro tipo de acessórios para bebé, que possa aproveitar, mas também informares-te sobre aquilo que realmente necessitas. Compra a mobília em segunda mão, por exemplo, e seja criativo no seu uso futuro quando o bebé já não precisar. Faz as tuas compras faseadas de forma a não sobrecarregares o teu orçamento familiar. Começa também a pesquisar creches, de forma a perceberes qual a melhor que se adequa ao teu nível de exigência no que toca à educação do teu filho e ao tamanho da tua carteira.

3. DEPOIS DA CHEGADA DO BEBÉ: A partir de agora, o teu estilo de vida irá alterar-se na medida em que as saídas para jantar com os amigos serão mais escassas com um recém-nascido em casa. Poupa os meticais ias gastar com este tipo de despesas e guarda-os para uma despesa imprevista. É imperativo que inicies uma conta-poupança em nome do teu filho com o objectivo de pagares a creche, ou a universidade ou até a compra de um carro, quando ele atingir a maioridade. Mesmo que se tratem de pequenos montantes, não deixe de poupar. Podes, por exemplo, subscrever à Conta Futuro BCI, uma solução de poupança a prazo, pensando no futuro dos teus filhos menores, com uma remuneração atractiva e que cresce continuamente através de reforços. Uma solução perfeita!

1 de 5
  • Como preparar financeiramente a chegada de um bebé? - image 1
  • Como preparar financeiramente a chegada de um bebé? - image 2
  • Como preparar financeiramente a chegada de um bebé? - image 3
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
407

Oito dicas para poupares com o teu Banco

Grande parte dos moçambicanos desconhecem que os Bancos cobram comissões pelas contas. Quanto maior a escolaridade, maior o conhecimento sobre estes assuntos.

Mas os tempos não estão para cometeres deslizes financeiros, por isso, é importante saberes exactamente como gastas todos os teus tostões. Começa por evitar alguns gastos que tem no teu banco. Uma boa conta à ordem não deverá ter comissões mensais, não deves exigir saldo médio elevado para teres isenção, emissão de cheques gratuita e homebanking que compensa. Conhece 8 comissões bancárias que podes evitar.

Slider

1- VAI PELO SERVIÇO ONLINE: As operações através de homebanking são mais baratas do que ir ao balcão ou pelo telefone. Em muitos casos, o serviço é gratuito e é confortável. Através do banco virtual podes efectuar várias operações financeiras fora do horário de atendimento, em qualquer lugar e de forma segura, evitando filas de espera nos balcões de atendimento presencial.

2- ATM: Tal como no homebanking, muitas das operações feitas através do ATM são mais baratas e, em alguns casos, até gratuitas. É ainda uma alternativa segura ao banco online, pois assegura a movimentação do dinheiro de forma eficaz e prudente.

3- CONTAS ESPECÍFICAS: Algumas pessoas, como estudantes, podem ter contas especiais, que têm encargos mais reduzidos, nomeadamente isenção comissão de gestão.

4- TRANSFERÊNCIAS VIA INTERNET: Se necessitas de fazer transferências com alguma frequência, faz através da internet, pois os custos são bem mais reduzidos e, em alguns casos, gratuitos.

5- CRÉDITO EM CONTA: O cartão de crédito pode ser o teu melhor amigo, desde que bem manuseado. Se estás na hora de escolheres um, opta por um que não tem anuidade (ou reduzida) e que tem uma taxa de juro baixa.

6- MAIS POR MENOS: Quantos mais produtos contratares dentro do mesmo banco, menos pagarás de comissões. Teres todas as tuas necessidades bancárias reunidas num só banco fará com que pagues menos pelos serviços e tens vantagens na hora de negociares condições de depósitos a prazo, contas à ordem e até quando quiseres pedir um crédito.

7- EXTRACTO BANCÁRIO NO BALCÃO: Analisares o extracto bancário é uma excelente forma de manteres a tua vida financeira organizada. Para evitares as comissões cobradas por requisitares um extracto bancário ao balcão, opta por consultar a conta através da internet ou ATM.

8- EVITA LEVANTAR DINHEIRO NO BALCÃO. És daqueles que gosta de ir a uma agência do banco para levantar dinheiro? Estás a gastar dinheiro desnecessariamente, opta por fazê-lo através do ATM.

1 de 5
  • Oito dicas para poupares com o teu Banco - image 1
  • Oito dicas para poupares com o teu Banco - image 2
  • Oito dicas para poupares com o teu Banco - image 3
  • Oito dicas para poupares com o teu Banco - image 4
  • Oito dicas para poupares com o teu Banco - image 5
  • Oito dicas para poupares com o teu Banco - image 6
  • Oito dicas para poupares com o teu Banco - image 7
  • Oito dicas para poupares com o teu Banco - image 8
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
813

10 palavras mágicas para conseguires o que queres

Tu podes nunca ter pensado nisto. Mas as palavras que usamos todos os dias moldam nossas realidades. Apenas o uso de uma palavra correcta ou incorrecta pode significar conquistar algo que desejas ou não. E como te podes beneficiar disto?

Nossas escolhas de palavras causam uma impressão poderosa sobre as pessoas com quem conversamos. Seja na fila do banco, na entrevista de emprego ou durante uma reunião formal com os teus clientes.

Vamos mostrar-te que diferentes situações e diferentes pessoas exigem diferentes vocabulários e tonalidades.

Existem algumas palavras que mantêm o poder, independentemente do contexto. Estas palavras podem ajudar-te a abrires portas para mais negociações e maior sucesso no que desejas. Tu te mostrarás aberto, inteligente e persuasivo, o que significa que terás uma vantagem enorme quando fizeres o teu pedido.

 

 

Slider

1. PORQUE: Esta é a mais importante de todas, pois mostra uma justificação para as tuas acções. Esta palavra explica as motivações para cada elemento do teu pedido. Tem um propósito para tudo o que desejas. Tu verás que isto não só aumentará a tua chance de sucesso, como também te fará refletir na real necessidade de muitas coisas inúteis que tu fazes.

2. FAREI: É a palavra que usamos para mudar para o tempo futuro, e é poderosa porque implica o que acontece depois que a conversa acabou com um certo grau de certeza. Declarares que tu

3. TU: Ao fazer um pedido, a tendência é que as pessoas falam somente sobre si mesmas. Elas vão dizer coisas como

4. NÓS: Esta é uma extensão da palavra anterior. Assim como

5. JUNTOS:

6. SE: Esta palavra tem um enorme poder porque gera condições. É tão útil que praticamente todos os códigos de programação de computador usam condições “se... então”. No nível pessoal, ela te dá a oportunidade de quebrares uma situação até os termos mais básicos ao explorar resultados hipotéticos. Explorando bem isto, podes mostrar o que acontecerá caso a pessoa não faça o que tu desejas. Por exemplo:

7. PODERIA: Se tu começares uma conversa de forma negativa, inseguro se algo é mesmo possível, podes ter certeza que a probabilidade das coisas não darem certo são altíssimas. Usar a palavra

8. FACTO: Sempre que tu mostrares algum facto que justifica o que queres, tu estarás a aumentar significativamente as tuas chances de persuasão. Tem isto em mente: contra fatos não existem argumentos. Há apenas uma ressalva: os factos precisam ser sempre reais, embasados em evidências empíricas ou pesquisas de algum tipo. A partir do momento que a tua palavra não é mais confiável, desiste de conseguir as coisas. Usar mais factos nos teus diálogos irá ajudar-te a fortalecer a tua posição e garantir um ângulo mais persuasivo para a tua discussão.

9. ABRIR: Nem sempre tu concordarás com tudo o que a outra pessoa te disser. Portanto tu não realizarás todas as solicitações feitas. Mas fechar pedidos com um

10. OBRIGADO: Agradecer é tão simples e não custa nada. Por que não usar mais o “obrigado”? Começa agora mesmo! Um simples agradecimento é uma expressão imediata, e se tu começares uma conversa com isto, estarás a ir por um bom caminho. Tu mostrarás que realmente te importas com o tempo dispensado pela outra pessoa, o que a tornará mais propensa e interessada em ajudar-te.

1 de 5
  • 10 palavras mágicas para conseguires o que queres - image 1
  • 10 palavras mágicas para conseguires o que queres - image 2
  • 10 palavras mágicas para conseguires o que queres - image 3
  • 10 palavras mágicas para conseguires o que queres - image 4
  • 10 palavras mágicas para conseguires o que queres - image 5
  • 10 palavras mágicas para conseguires o que queres - image 6
  • 10 palavras mágicas para conseguires o que queres - image 7
  • 10 palavras mágicas para conseguires o que queres - image 8
  • 10 palavras mágicas para conseguires o que queres - image 9
  • 10 palavras mágicas para conseguires o que queres - image 10
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
3k

Conduz a poupar combustível

Se é em combustível que gastas boa parte do teu orçamento familiar, está na hora de adoptares tácticas de condução mais económicas, para que a frequência com que tens de te dirigir ao posto de abastecimento de combustível seja mais reduzida. Hoje vamos dar-te um conjunto de conselhos sobre condução mais eficiente. São cerca de 3000 meticais que poderás poupar em cada mil quilómetros. Não é uma boa razão para travares a fundo nos gastos? Então segue estas dicas:

Slider

1. Liga o motor apenas quando tencionas iniciar a marcha.

2. Troca de mudança o mais cedo possível, já que as mudanças mais altas consomem menos combustível.

3. Conduz suavemente, evitando acelerações ou travagens bruscas.

4. Procura circular a velocidades razoáveis.

5. Se conduzires a alta velocidade, fecha todas as janelas para obteres maior estabilidade da viatura e menor consumo de combustível.

6. Liga o ar condicionado apenas se estritamente necessário.

7. Verifica todos os meses a pressão dos pneus, já que uma baixa pressão pode aumentar o consumo de combustível da viatura.

8. Verifica regularmente o nível de óleo.

9. Mantém o motor afinado.

Retira as coisas desnecessárias dos bancos traseiros e do porta-bagagens, já que o peso sobrecarrega a viatura, obrigando a um maior consumo de combustível.

1 de 5
  • Conduz a poupar combustível - image 1
  • Conduz a poupar combustível - image 2
  • Conduz a poupar combustível - image 3
  • Conduz a poupar combustível - image 4
  • Conduz a poupar combustível - image 5
  • Conduz a poupar combustível - image 6
  • Conduz a poupar combustível - image 7
  • Conduz a poupar combustível - image 8
  • Conduz a poupar combustível - image 9
  • Conduz a poupar combustível - image 10
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
4k

Como organizar o orçamento quando tens pouco dinheiro

Organizar o orçamento familiar quando a balança está desequilibrada não é fácil. Se estás com problemas de dinheiro é possível que não tenhas um plano de gastos concebidos para os teus rendimentos actuais. Um orçamento inteligente evita que fiques financeiramente desamparado a meio do mês e prevines o sobre-endividamento.

No entanto, se já estás com dificuldades em fazer face às despesas mensais mas queres colocar as tuas contas no caminho certo, é preciso comprometeres-te, o que leva algum tempo. Conhece cinco conselhos para organizares as finanças quando estás sem dinheiro.

Slider

1. ORÇAMENTO: Evita o desastre financeiro no teu orçamento. Esconderes a cabeça na areia para não veres o real estado das tuas finanças é a pior alternativa. Se está prestes a deixar de conseguir fazer face às responsabilidades com o crédito, tens dívidas acumuladas às Finanças ou o INSS já não paga as despesas fixas mensais há algum tempo, entre em contacto com as instituições credoras e pede ajuda adequada ao teu caso antes que seja tarde demais e possas ser alvo de penhoras. Se o problema são dívidas ao banco, podes entrar em contacto com a instituição bancária e pedir a renegociação das condições de pagamento da dívida, como um período de carência, o alargamento do prazo de pagamento ou pedir uma alteração da taxa de juro aplicada.

2. PRIORIZA AS CONTAS: Analisa as tuas contas mensais e estabelece o que deve ser pago em primeiro lugar e depois faz um esquema de pagamento. É importante que nunca fiques sem dinheiro para as despesas mais básicas, como alimentação, a renda ou o crédito à habitação. No entanto, se alguma conta ficar para pagar mais tarde, contacta a companhia a explicar a situação para estabeleceres um plano de pagamento. Sê honesto.

3. CORTAR NAS DESPESAS “EXTRA”: É altura de estabeleceres as diferenças entre as necessidades e desejos. Se tens de priorizar as contas fixas, há pouca margem para despesas extra. Para conseguires contornar esta limitação poderás, por exemplo, aderir grupos e páginas de trocas nas redes sociais. Estes grupos – lojas virtuais - podem ajudar-te a obteres os artigos que necessitas sem ter de gastares dinheiro. No que diz respeito a entretenimento, procura formas ‘low cost’ ou gratuitas de entreter a família, como um piquenique no parque, por exemplo. No que diz respeito à conta de telemóvel, procura um tarifário básico sem internet e com chamadas gratuitas para os números para os quais costuma ligar mais frequentemente .

4. OBTÉM RENDIMENTOS EXTRA: Se o orçamento familiar está desequilibrado, ou seja, tem mais despesas do que rendimentos, é necessário inverteres esta tendência. Se já cortaste nas despesas extra, reduziste as despesas mensais fixas ao máximo e mesmo assim o resultado não é o mais satisfatório, pondera arranjar um segundo trabalho em part-time ou então transformares os teus hobbies em formas de fazer dinheiro.

5. ADOPTA UM ESTILO DE VIDA MAIS FRUGAL: Ser frugal não significa que tenhas de deixar de fazer aquilo que gostas por questões financeiras. Antes pelo contrário: É seres feliz a fazer o que gostas sem gastar muito dinheiro. Não é preciso comprar um livro para a apreciá-lo, podes pedi-lo emprestado ou ir à biblioteca para pôr a leitura em dia. A filosofia adoptada pelos adeptos da vida frugal pode ser canalizada para vários aspetos da vida: Será possível viveres numa casa mais barata? Terás mesmo de levar o carro para o trabalho todos os dias? Tens mesmo de ter o melhor telemóvel do mercado para seres feliz?

1 de 5
  • Como organizar o orçamento quando tens pouco dinheiro - image 1
  • Como organizar o orçamento quando tens pouco dinheiro - image 2
  • Como organizar o orçamento quando tens pouco dinheiro - image 3
  • Como organizar o orçamento quando tens pouco dinheiro - image 4
  • Como organizar o orçamento quando tens pouco dinheiro - image 5
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
1k

Erros que os pais cometem na educação financeira dos filhos

Criar um filho é um trabalho a tempo inteiro e de longo prazo. Além de garantirem que são asseguradas as necessidades básicas da criança (como a alimentação, vestuário e a saúde), os pais são também responsáveis pela sua educação aos mais diversos níveis: desde a educação escolar, passando pela transmissão de valores importantes para a construção da personalidade da criança, mas também pela passagem de conceitos financeiros importantes para que as crianças se tornem adultos financeiramente responsáveis. E, neste campo, fica a conhecer os principais erros que os pais cometem na educação financeira dos seus filhos e sabe como evitá-los.

Slider

NÃO DÊS SEMANADA OU MESADA: Ao atribuíres uma determinada quantia aos teus filhos estás a atribuir-lhes uma responsabilidade e a deixá-los tomar as suas próprias decisões. Provavelmente, nos primeiros tempos é possível que as crianças se sintam tentadas a gastar rapidamente a sua semanada. No entanto, é fundamental que quando isto acontecer os pais não tentem colmatar ou proteger as opções erradas que os filhos fazem na gestão da semanada. Por exemplo: Imagina que o teu filho “estoura” a semanada logo no primeiro dia em que a recebe. Não lhe dá mais dinheiro até à data da próxima semanada e tenta evitar comprar-lhe os rebuçados ou um artigo que ele compraria se tivesse gerido melhor o dinheiro. Lembra-te que se estiveres sempre a dar cobertura às más opções do teu filho, dificilmente ele aprenderá a fazer as escolhas certas.

2. ESCONDER DA CRIANÇA OS PROBLEMAS FINANCEIROS DA FAMÍLIA: Num contexto de crise, a situação financeira de uma família pode ser abalada: o rendimento cai e, como tal, é necessário cortar os gastos do agregado e fazer opções de consumo. Muitas vezes os pais tentam poupar os filhos da pressão que estes problemas causam e continuam a manter o mesmo padrão de consumo dos filhos, muitas vezes com sacrifício dos próprios pais. É uma opção que pode ser perigosa já que dá à criança uma visão distorcida das suas possibilidades. É importante que as crianças estejam informadas da situação financeira da família e se sintam parte da solução. No entanto, toma alguns cuidados na forma como abordas a questão: Evita ter um discurso excessivamente negativo ou dramático, ou transmitir demasiados detalhes sobre a tua situação financeira sob pena de passar demasiada pressão e ansiedade para os teus filhos.

3. Principalmente a um filho. No entanto, por vezes é importante uma criança aprender a ouvir um “não”, para que ela comece a interiorizar que o dinheiro, as prendas e objectos de desejo não caem do céu e têm um custo. E que o facto de se entrar numa loja não significa que tenhamos sempre de comprar alguma coisa. Mas para que esta estratégia seja eficaz não basta dizer “não”: é importante que esta palavra seja acompanhada por uma explicação. A partir de uma determinada idade é também fundamental que as crianças aprendam que se querem realmente algo têm de esperar e poupar para o conseguir.

4. TRANSMITIR MENSAGENS CONTRADITÓRIAS: A melhor forma de passar bons conceitos financeiros aos teus filhos é dando um bom exemplo. Imagina que vais ao centro comercial com os teus filhos e eles lhe pedem que compres um determinado artigo. Não lhes podes dizer que não tens dinheiro disponível para comprar o que eles desejam e depois decidires comprar uma mala ou uma peça de roupa para ti. As mensagens que passas sobre o dinheiro e o conceito de poupança não devem ser contraditórias. Têm de ser coerentes. Isto significa que se em casa costumas falar com os teus filhos sobre a necessidade de poupar e a importância de gerir os gastos é importante que as tuas ações espelhem as tuas palavras.

1 de 5
  • Erros que os pais cometem na educação financeira dos filhos - image 1
  • Erros que os pais cometem na educação financeira dos filhos - image 2
  • Erros que os pais cometem na educação financeira dos filhos - image 3
  • Erros que os pais cometem na educação financeira dos filhos - image 4
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
2k

Cinco dicas para divulgares o teu pequeno negócio

Para muitas pessoas, ter um actividade, à parte do seu emprego, é uma forma de aumentar os rendimentos mensais. Algumas ideias de actividades extra que podem fazer são: babysitting, cuidar de animais domésticos, passar roupa a ferro, fazer uns trabalhos de costura ou traduções. Qualquer que seja o serviço que ofereça para ganhares algum dinheiro, a parte mais difícil pode ser atraíres clientes, ou seja, dares a conhecer o teu trabalho.

Existem algumas formas de espalhares a palavra sobre os serviços que prestas e aumentares as hipóteses de ver a tua lista de clientes a crescer, como, por exemplo, distribuíres panfletos, colocares anúncios em locais estratégicos ou distribuíres cartões-de-visita. Aqui ficam algumas ideias de baixo orçamento para quem quer divulgar um pequeno negócio.

Slider

1. FAZ CARTÕES DE VISITA: Faz um cartão-de-visita atraente, mas sobretudo que contenha a informação mais importante, como os contactos, endereço de correio electrónico e ‘site’ (se houver), para que os interessados saibam para onde contactar. Quando tiveres o cartão, distribui-o a todas as pessoas que conheces. Nunca se sabe quando não se vai cruzar com alguém que necessita dos teus serviços ou conhece alguém que precisa.

2. CRIAR E DISTRIBUIR PANFLETOS: Este é um dos primeiros passo para divulgares um pequeno negócio. Em primeiro lugar, é preciso criares o panfleto ou folheto com imagens e palavras que chamem à atenção do negócio e que contenha informação fundamental, como: quais os serviços, qual o preço, número de telefone, e-mail e outras informações relevantes. Depois, escolhe algumas zonas-chave, onde acreditas que possas angariar clientes, e distribui os panfletos. Entra em algumas lojas ou cafés movimentados na zona e pede para deixares alguns panfletos.

3. CRIA UM “BLOG” COM CONTEÚDOS RELEVANTES: O marketing de conteúdos é uma das melhores, e mais baratas, formas de criares uma relação duradoura com os clientes e também de atraíres novos consumidores. Assim, uma ideia relevante é criares um blogue, onde passes a divulgar conteúdos, criados por ti, onde te posicionas como especialista, que és capaz de dar solução aos problemas dos clientes. Para dares a conhecer este blogue, é importante estares presente nas redes sociais, assim como utilizar técnicas de SEO – Search Engine Optimization, que ajudam a posicionares o blogue nos lugares cimeiros do motor de pesquisa do Google.

4. CRIA UMA PÁGINA DE “Facebook”: A presença nas redes sociais, principalmente o Facebook, é um passo obrigatório para quem quer divulgar um negócio. Em primeiro lugar, porque criar uma página nesta rede social é gratuito e depois porque muitos dos teus potenciais clientes podem estar no Facebook. Para criares interação e conseguires chegar a mais pessoas, é necessário dinamizares o perfil da página. Além de publicitares os teus serviços, coloca notícias que possam estar relacionadas com o negócio, lança debates e, se possível, conteúdo próprio que as pessoas possam querer ler e partilhar. Pede ajuda aos teus amigos para partilharem a tua página de Facebook e coloca alguns temas.

5. COLOCA ANÚNCIOS EM CLASSIFICADOS: Uma outra forma de divulgares o teu pequeno negócio é colocando um anúncio em jornais de classificados “online”, como o OLX (na parte de serviços). É certo que para colocares um anúncio nesta plataforma, eventualmente terás sempre de pagar uma comissão, mas o retorno poderá valer a pena.

1 de 5
  • Cinco dicas para divulgares o teu pequeno negócio - image 1
  • Cinco dicas para divulgares o teu pequeno negócio - image 2
  • Cinco dicas para divulgares o teu pequeno negócio - image 3
  • Cinco dicas para divulgares o teu pequeno negócio - image 4
  • Cinco dicas para divulgares o teu pequeno negócio - image 5
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
457

Dez dicas para procurares emprego de forma eficaz

A procura de emprego pode ser um processo cansativo. Procurar uma oferta que vai de encontro às tuas competências, entregar o currículo várias vezes e não obteres resposta é uma actividade frustrante. Face a este problema, existem várias tácticas que podes utilizar se estás à procura de emprego.

Slider

1. ESTEJA PRESENTE NO LinkedIn: Apostar nas redes sociais pode ser uma boa forma de te manteres a par do mercado de trabalho. Além de algumas ofertas estarem presentes nesta rede social dedicada aos profissionais, ter o teu perfil actualizado e com descrições do que já fez pode ajudar o seu futuro empregador a conhecer melhor a suas qualificações e competências.

2. APOSTA NO “NETWORKING”: Estabelece contactos com colegas e amigos e informa-os que estás à procura de trabalho. Se tiveres um perfil activo no LinkedIn tente também entra em contacto com responsáveis de empresas de recrutamento ou responsáveis da empresa onde gostavas de trabalhar. Pede conselhos e dicas que possas implementar na tua procura de emprego.

3. PROCURAR NOS SÍTIOS CERTOS: Nos tempos que correm existem vários locais com ofertas de emprego. A internet tem sido o local de excelência para a divulgação de ofertas. No entanto, é necessário que tenhas em conta que muitas ofertas não são verdadeiras. Por isso, responde apenas a ofertas que estejam em sites credíveis, como os sites das agências de recrutamento e que divulguem o nome da empresa.

4. ESTEJA ATENTOS ÀS OFERTAS DE EMPREGO: Dedica uma ou duas horas do teu dia para pesquisares as várias ofertas de emprego. Pesquisa na internet, nos jornais diários e semanários. Esteja atento, também, aos ‘placards’ dos supermercados.

5. ACTUALIZA OS TEUS CONHECIMENTOS: Se estás sem emprego, aposta na tua formação. Opta por formações e ‘workshops’ para forneceres o teu currículo de vantagens diferenciadoras face aos outros candidatos. Se preferires, podes ainda optar por obter uma licenciatura ou mestrado. O importante é que estejas a par do que se passa no mercado de trabalho, em particular na tua área de especialização.

6. CRIA UM CV MARCANTE: Com um mercado de trabalho cada vez mais competitivo é importante que o teu “curriculum vitae” se distinga do dos outros candidatos. Olha para o teu currículo como um instrumento que irás mostrar ao teu futuro patrão, o porquê de contratá-lo. Lista as tuas principais competências e experiência mais relevantes, bem como as tuas ‘soft skills’.

7. ESCREVE UMA CARTA DE APRESENTAÇÃO: Muitas ofertas de emprego pedem que envies em conjunto com o teu CV uma carta de apresentação ou motivação. É imperativo que escrevas uma carta de apresentação que reflita o espírito da empresa e que seja entusiasmante de forma a despertar curiosidade sobre o teu currículo.

8. PESQUISA SOBRE A EMPRESA: Antes de concorreres a uma oferta de trabalho, pesquisa informações sobre a empresa a que te candidatas. Lê o site da empresa, bem como as redes sociais em que ela está presente. Informa-te sobre as políticas internas da empresa, de forma a adequares o teu discurso e a tua forma de vestir.

9. SEGUE AS REGRAS DE OURO ANTES DE IRES A UMA ENTREVISTA DE EMPREGO: Se foste chamado para uma entrevista, encara-a como um exercício que poderá ser repetido várias vezes. Esta é uma forma de poderes aprender com esta experiência caso não sejas chamado para ocupar a vaga oferecida.

10. MANTÉM-TE ENTUSIASMADO E MOTIVADO: Receber muitos “nãos” numa altura em que se está mais sensível pode ser devastador. O importante é que te mostres entusiasmado e motivado nas entrevistas de emprego. Fala de forma confiante e tenta convencer o recrutador que és a pessoa mais habilitada para exercer a função a que te candidatas.

1 de 5
  • Dez dicas para procurares emprego de forma eficaz - image 1
  • Dez dicas para procurares emprego de forma eficaz - image 2
  • Dez dicas para procurares emprego de forma eficaz - image 3
  • Dez dicas para procurares emprego de forma eficaz - image 4
  • Dez dicas para procurares emprego de forma eficaz - image 5
  • Dez dicas para procurares emprego de forma eficaz - image 6
  • Dez dicas para procurares emprego de forma eficaz - image 7
  • Dez dicas para procurares emprego de forma eficaz - image 8
  • Dez dicas para procurares emprego de forma eficaz - image 9
  • Dez dicas para procurares emprego de forma eficaz - image 10
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
2k