Educação

60
Total Publicar
Conhece a mesa que te permite trabalhar deitado

Topo mensagens (Última semana)

Conhece a mesa que te permite trabalhar deitado
0 + votos - 0 - votos

Dicas para escolheres o a formação superior ideal

O último ano do Ensino Médio é uma das etapas mais importantes da vida de um estudante. É sinal de que o exames aproximam-se e, com eles, a oportunidade de tomar decisões que poderão afetar todo o seu futuro.

Este momento pode ser tão empolgante quanto assustador, afinal, tens uma enorme responsabilidade em tuas mãos. Se chegaste nesta etapa sentindo-te perdido, sem saber o que queres e muito menos como decidires qual curso superior fazer.

Neste artigo, te apresentaremos 6 dicas para ajudar-te a fazer uma auto-avaliação, pesquisar melhor sobre as possibilidades disponíveis e descobrires qual é curso ideal para ti.

 

1. Analisa as tuas preferências

O primeiro passo para guiar a tua decisão é refletires sobre quais são as áreas que mais gostas. Pensa nas disciplinas que fazes atualmente: tu é do grupo dos que adoram Matemática? És um grande apreciador das aulas de História? Contas os dias para treinares as tuas habilidades nas aulas de Inglês ou Espanhol?

A partir desta análise, conseguirás saber, ao menos, qual grande área do conhecimento como as ciências humanas, exatas, biológicas, sociais ou da linguagem, encaixam-se melhor com o teu perfil pessoal. Com isto bem definido, conseguirás, no mínimo, eliminar muitas possibilidades e direcionares melhor as tuas opções.

 

2. Avalia as tuas habilidades

Identificar tuas habilidades pessoais é uma etapa tão importante quanto descobrires quais são as tuas preferências. Na hora de fazeres a “sondagem” dos cursos de licenciatura, é preciso ir além do gosto pessoal: deves considerar quais são os teus talentos, aquilo fazes bem, tuas características positivas e também as negativas, afinal de contas, o ideal é investir nos teus pontos fortes.

Na maioria das vezes, as habilidades pessoais coincidem com as nossas preferências, mas nem sempre é assim. Pode acontecer que gostes das aulas práticas de Química, por exemplo, mas tens bastante dificuldade para lidar com as fórmulas e cálculos.

Neste momento, deves pensar bem se não vale mais a pena dedicares-te a uma área que tenhas mais facilidade e, é claro, que também te dê prazer.

 

3. Pensa nas tuas expectativas e prioridades

Outro ponto importante a ser considerado na hora da escolha do curso de licenciatura é o que planeaste para o teu futuro. Para isto, é importante identificares quais são as tuas expectativas de vida e o que tens como prioridade não só no presente, mas também para o futuro.

Um bom exercício para obteres estas respostas é te questionares sobre qual é o padrão de vida que desejas ter. Pretendes ganhar dinheiro e desfrutar de uma vida luxuosa? Ou te importas pouco com bens materiais e desejas apenas teres conforto e alguma estabilidade? Estás disposto a sacrificar as tuas preferências pessoais por uma carreira com maior retorno financeiro?

É necessário lembrar que, enquanto algumas profissões são mais valorizadas no mercado e pagam salários mais altos, outras têm rotinas mais tranquilas e flexíveis.

 

4. Conhece a fundo cada curso

Neste ponto, já deves ter selecionado pelo menos algumas opções de cursos de licenciatura, correcto? Então, chegou a hora de tirares o foco de ti mesmo e estudares cada uma das possibilidades de forma prática.

A internet está repleta de informações sobre os mais diversos cursos, basta uma boa pesquisa nos grandes buscadores para encontrares sites e blogs com detalhes de cada um deles, como a duração, as áreas de atuação e a grade curricular.

Outra boa maneira de saberes mais sobre os cursos que desejas fazer é participando das feiras de profissões que são promovidas por algumas instituições de ensino. Neste tipo de evento, é possível assistires palestras ministradas pelos coordenadores e professores dos cursos em questão, conheceres mais sobre a abordagem da instituição e tirares dúvidas diretamente com eles.

 

5. Estuda o mercado de trabalho

Como mencionamos nos tópicos anteriores, a escolha do curso ideal não se baseia simplesmente em gosto pessoal. As questões práticas também devem ser consideradas, e a situação do mercado de trabalho é um ponto que tem bastante peso.

A internet também é uma boa aliada para descobrires como anda o mercado, qual é a demanda por profissionais, a média de horas trabalhadas e a faixa salarial, por exemplo.

Você também pode conversar com parentes e conhecidos que já actuam na área para descobrires mais sobre o dia a dia da profissão, quais são as vantagens e os principais desafios, tanto para quem está no início da carreira quanto para aqueles que já estão consolidados profissionalmente.

 

6. Faz testes vocacionais

Se chegaste até aqui e ainda não conseguiste tomar uma decisão sobre o melhor curso de superior para ti, nossa dica final é procurares um bom teste vocacional para auxiliar-te a ter mais autoconhecimento.

Existem inúmeras opções de testes vocacionais, muitos deles disponibilizados gratuitamente na internet ou até mesmo pelas instituições de ensino. Faz uma pesquisa em sites confiáveis e conversa e pede a orientação da equipe pedagógica da tua escola, se for o caso.

Outra opção é buscares ajuda de profissionais especializados em orientação vocacional, como psicólogos, psicopedagogos e coachs. Eles farão um trabalho personalizado e mais aprofundado, o ajudando a identificar as tuas características pessoais, preferências e habilidades que influenciarão na escolha do curso ideal para ti.

Esperamos que as nossas dicas de hoje possam te ajudar a direcionar a tua escolha para que tu tomes a melhor decisão para o teu futuro. Mas não te esqueças: nada na vida é definitivo e, caso faças uma opção equivocada, sempre há tempo para voltares atrás e escolheres um curso superior novamente.

Então, não tenhas medo de mudar de ideia caso descubras que o que escolheste não é exatamente o que esperavas.

 

Dicas para escolheres o a formação superior ideal
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
52

O que fazer quando tens que voltar para casa dos teus pais depois de terminar a faculdade?

Para muitos jovens, a primeira saída de casa dos pais acontece quando vão fazer a faculdade. Por vezes, fixam-se numa cidade diferente daquela onde cresceram. No entanto, para cada vez mais jovens, esta saída nem sempre é definitiva. Muitos regressam a casa dos pais depois de finalizarem o curso, o que os obriga a algumas alterações no estilo de vida a que estavam habituados. Saiba o que fazer quando tem que voltar para casa dos pais depois da universidade.

 

1.  Saiba com o que contar em termos financeiros.

Se, durante o tempo em que viveste fora de casa, vivias da mesada paga pelos teus pais, fala com eles acerca de como vai ser depois do regresso a casa. Se eram eles que pagavam as despesas relacionadas com o alojamento, agora que estás de volta a casa é sensato receber menos do que antes, uma vez que terás menos gastos.

 

2. Define objetivos e traça planos.

Encara o regresso como algo temporário e aproveita para definir o que vais fazer a seguir. Para te manteres motivado, é importante definires uma data de saída (mesmo que depois não a cumpras), nem que seja apenas para ti. No entanto, seja realista e evita sair antes de ter a certeza de conseguires ter independência financeira.

 

3. Procura trabalho activamente.

Não aproveita o regresso a casa para tirares umas férias por tempo indeterminado. Nos primeiros dias após o fim do curso, podes e deves aproveitar para descansar, mas continue atento às ofertas de trabalho que possam aparecer. Atualiza o teu currículo e começa a procurar trabalho de forma pró-activa o mais rapidamente possível.

 

4. Começa a pagar o empréstimo-estudante.

Durante o período de procura de emprego, mesmo enquanto viveres da mesada dos teu seus pais, faz a gestão do teu dinheiro de modo a começares a pagar o eventual empréstimo-estudante. Não espera até teres um salário para começares a reembolsar a dívida, mesmo que apenas consigas fazer pequenas amortizações.

 

5. Começa a poupar.

Do mesmo modo que não deves esperar por um futuro salário para vires a reembolsar o empréstimo-estudante, também não deves adiar o início das poupanças. Mais vale poupares pouco do que não poupares nada. Lembra-te de que vais precisar do dinheiro acumulado quando voltares a sair de casa.

 

6. Define fronteiras.

Depois de passares algum tempo apenas a depender de si próprio, pode ser difícil voltar ao convívio com a família e teres de cumprir os horários familiares. Se antes não precisava de avisares se jantava, agora deve fazer. Se, entretanto o teu quarto já tinha sido utilizado para outras funções, mostra-te compreensivo, mas não hesita em explicar de forma calma e ponderada que gostarias de voltar a ter o teu espaço e a tua privacidade.

 

 

O que fazer quando tens que voltar para casa dos teus pais depois de terminar a faculdade?
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
67

6 dicas de como te comportares no teu primeiro estágio

O primeiro estagio é o passo inicial na carreira de muitos jovens. É o momento em que esse novo profissional pode começar a colocar em prática todos os conhecimentos adquiridos na graduação, além de estabelecer os primeiros contactos com o mundo corporativo.

Mas por ser algo desconhecido, o nervosismo e a ansiedade costumam estar presentes nesta etapa, mesmo depois de passar pela entrevista. Confere algumas dicas de como te comportares no teu primeiro estágio:

 

  • Pesquisa sobre a empresa com antecedência

Antes de iniciares na companhia é fundamental ter um conhecimento prévio sobre sua história, produtos, cultura, entre outras informações. Este tipo de preparo te deixará muito mais confiante e familiarizado com a organização. Além disso, pode ser uma ótima maneira de estabelecer conversas com as pessoas, logo nos primeiros dias, tornando a adaptação muito mais fácil.

 

  • Seja pontual

Comprometimento é algo muito valorizado pelos gestores e colegas de trabalho, sendo assim, principalmente no primeiro dia, é importante causar uma boa impressão. Sai de casa com antecedência e faz todo o caminho tranquilamente. Caso chegues cedo demais na empresa, podes tomar um café da manhã pela redondeza ou até mesmo aguardar, lendo um livro, por exemplo. O importante é estares na organização no horário combinado.

 

  • Demonstra simpatia e interesse

Desde o primeiro momento é importante ser simpático com todos que se apresentarem e demonstrar interesse por tudo o que for falado. É neste momento que tu irás conhecer o espaço e as pessoas com quem irás trabalhar e conviveres diariamente. Procura interagir e falar um pouco sobre ti também, causando um impacto positivo logo neste contato inicial.

 

  • Aposta na discrição

Principalmente nos primeiros dias é importante observares como é o dia a dia na companhia e como as pessoas costumam se relacionar. Esta é uma dica essencial para aprenderes de como te comportares no primeiro estágio!

Mesmo que tenhas um perfil menos contido e bastante comunicativo, é indicado que tomes alguns cuidados para não destoares-te do ambiente corporativo. Cumprimentar e conversar com os colegas é algo extremamente positivo, mas o equilíbrio, principalmente quando estiveres dentro da empresa, é fundamental.

 

  • Entende a tua função na empresa

Procura, logo no início, compreenderes como funciona a tua área e, principalmente, qual é o teu papel na companhia. Além disto, é preciso saberes quais devem ser os teus prazos de entregas de cada um dos projetos. Procura te organizares e tirar todas as dúvidas. A partir daí tu já pode iniciar o teu trabalho, sempre atento ao cronograma estabelecido.

 

  • Esteja disposto a aprender

O que a empresa espera do novo estagiário? O aprendizado sempre será um ponto citado. Todos os dias serão oportunidades para isso, estão esteja sempre aberto para receber novas orientações, conhecer outras informações e ser envolvido em novos projetos.

Quanto mais tu demonstrares interesse e estiveres disposto a aprender, melhor será o teu envolvimento com a área e com a companhia, de modo geral. Nesta etapa, ouvir mais do que falar é um ponto que não deve ser esquecido.

 

 

Agora que  já sabes como te comportares no teu primeiro estágio, que tal partilhares este artigo com outros colegas?

 

6 dicas de como te comportares no teu primeiro estágio
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
1k

4 maneiras de encontrares motivação para terminares a faculdade

A formação superior é uma grande conquista. Cada vez mais estudantes moçambicanos vão para as universidades e obtêm diplomas que abrem inúmeras portas no mercado de trabalho. Conquistar esta vitória, no entanto, também é um desafio de dedicação e esforço diários. Se tu estas desanimado, sem motivação para ir para a faculdade ou nem sabes se vais fazer um curso superior, não desista!

Slider

1. TERMINAR O QUE COMEÇOU: Tu podes estar na faculdade por diversos motivos: vontade dos pais, oportunidade no trabalho ou simplesmente por que achas que este é o passo óbvio a ser dado depois do ensino médio. Independentemente da razão, tu estas na universidade, já iniciou o teu curso. Esta é a etapa básica, primordial, para conseguires terminar. Mesmo que suas razões não sejam muito claras, começar o que terminou já é uma justificativa suficiente para te esforçares mais.

2. DIVERSIDADE DE ATUAÇÃO: O ensino superior abre as portas para oportunidades inesperadas de fazer aquilo que tu realmente gostas. Ele dá liberdade suficiente para que tu escolhas, dentro da mesma profissão, diversos campos diferentes de atuação. Com um único diploma tu tens a chance de fazer diferentes coisas e se sentir realizado em cada uma delas.

3. FAZER O QUE REALMENTE AMA: A escolha do curso é o passo inicial para fazeres aquilo que tu realmente amas. A partir de tuas preferências, desejos, objectivos e inclinações naturais, tu escolhes a profissão que mais se encaixa com o teu perfil. A graduação é, portanto, a formalização desse sonho.

4. REPRESENTA UMA ENORME CAMINHADA: Um diploma é muito mais do que um pedaço de papel. Ele representa anos de esforço nos estudos, desde os primeiros anos de alfabetização, de lágrimas, falhas, suor e trabalho árduo. Não foste apenas tu que lutaste por esta conquista, mas também os teus pais ou responsáveis, que estiveram ao teu lado para possibilitar esta vitória.

1 de 5
  • 4 maneiras de encontrares  motivação para terminares a faculdade - image 1
  • 4 maneiras de encontrares  motivação para terminares a faculdade - image 2
  • 4 maneiras de encontrares  motivação para terminares a faculdade - image 3
  • 4 maneiras de encontrares  motivação para terminares a faculdade - image 4
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
1k

Prepara-te para seres empreendedor com estas dicas

O planeamento é fundamental para um negócio bem-sucedido

Quem está a pensar em empreender não se pode esquecer do elemento fundamental para o sucesso do negócio: o planeamento. Abrir uma nova empresa ou franchising requer estudos e análises de mercado e quem ignora esta fase dificilmente colherá resultados positivos do seu investimento. Saiba como se organizar para começar a empreender ainda este ano:

 

1. IDENTIFICAR A ATUAÇÃO

Antes de começar a empreender deve saber: qual será o seu mercado de atuação? Qual é o negócio em que pretende investir? Faça a escolha de acordo com o seu perfil profissional. É preciso saber autoanalisar-se, neste momento, e aplicar em segmentos com os quais já está familiarizado: trabalhar numa área que não conhece não é uma boa ideia.

 

2. ANALISANDO O MERCADO

Quem não estuda, não traz resultados positivos para o negócio. Manter-se atualizado às tendências e à performance dos concorrentes é fundamental para se destacar no mercado. Analisar o próprio negócio e o setor em que está inserido é uma lição básica na hora de empreender, afinal, ninguém pode arriscar tudo em algo que não foi planeado e previamente estudado.

 

3. PLANEANDO BEM O ORÇAMENTO

Empreender exige um investimento considerável, por isso, é necessário estar preparado para manter o negócio financeiramente. Começar com um investimento mínimo para conquistar os primeiros clientes pode ser a forma de atuação mais segura, mas nunca se esqueça de orçamentar, planear e comprar apenas o necessário.

 

4. PREPARANDO-SE PARA OS ERROS

O mundo dos negócios está repleto de falhas e de sucessos. Com os erros, é preciso tirar lições que contribuam para a evolução do negócio. Por isso, é preciso saber reconhecê-los, assumi-los, contornar as situações que causaram e nunca mais repetir a falha. Esteja atento também aos erros dos seus concorrentes, pode ser a deixa para se destacar nas vendas – sem jogadas sujas.

 

5. CONQUISTANDO OS PRIMEIROS CLIENTES

O momento de conquistar os primeiros clientes é crucial para o desenvolvimento do negócio. Para chamar a atenção de potenciais consumidores, é preciso estudar o perfil dos compradores e identificar o que eles esperam de um negócio como o seu. Oferecer-lhes exatamente aquilo que esperavam é o segredo para os fidelizar.

Prepara-te para seres empreendedor com estas dicas
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
939

Como escrever uma carta de apresentação em sete passos simples

Nos tempos que correm ter apenas um bom CV não chega para chamares a atenção dos recrutadores. A forma como te apresentas e te diriges numa candidatura pode ser uma boa forma de potenciar curiosidade no teu futuro chefe. Para isto é necessário que antes de formalizares a tua candidatura tenhas preparada uma carta de apresentação. Este documento é uma boa oportunidade para dar a conhecer um pouco de ti e da tua personalidade. Não te esqueças que uma carta de apresentação serve sempre como complemento ao envio do CV e, por isso, não deverá conter muitas informações sobre a tua carreira profissional. Apesar de ser considerado um meio datado, esta carta ainda pode ser utilizada como um instrumento de exposição do teu valor. Saiba como deves escrever uma carta de apresentação.

 

1. Seja simples na carta de apresentação

Utiliza vocabulário simples, mas que vá de encontro aos padrões da empresa. Tente ser o mais objetivo possível, sem prolongar muito a carta. É aconselhável que não escrevas mais que quatro parágrafos, de forma a que a carta seja lida de forma rápida.

 

2. Faz uma pesquisa sobre a empresa

De forma a ir de encontro aos padrões da empresa é importante que pesquises um pouco sobre ela. Assim, poderás saber qual é a linguagem mais adequada para preencher a tua carta de apresentação. Se pretendes ocupar uma vaga ligada a uma carreira mais criativa, utiliza a carta de apresentação como forma de dar a conhecer ao recrutador a tua imaginação e criatividade.

 

3. Destaque o teu valor

A carta de apresentação é um meio de dar a conhecer os motivos pelos quais é a pessoa certa para o lugar a que está a candidatar-se. Por isso mesmo, faz um pequeno resumo das tuas principais capacidades e reforçando aquelas que a empresa procura. Não te esqueças de referir sempre a tua experiência, referindo exemplos.

 

4. Transmite dedicação e espírito de iniciativa

Se não sentires qualquer tipo de entusiasmo pelo trabalho a que se está a candidatar, não envie o teu currículo. Descobre as empresas que mais se adequam ao teu perfil e tente saber se existem vagas disponíveis. Se existirem, escreve na carta de apresentação os motivos que o levaram a candidatar-te ao emprego disponível e explica porque o deixaria satisfeito trabalhar naquela empresa. Tenta referir a importância que a empresa tem na tua área de especialidade e seja autêntico naquilo que escreve.

 

5. Personaliza a carta para o cargo a que te candidatas

Não envia a mesma carta para todos os cargos a que se candidata. A linguagem utilizada entre empresas pode variar entre o muito formal e o informal e será um erro fazê-lo uma vez que o recrutador pode não considerar o teu CV. Por isso faz uma pesquisa sobre a empresa antes de escreveres a tua carta de apresentação.

 

6. Coloca os pré-requisitos

É importante referir que tem os pré-requisitos pedidos pela empresa na tua carta de apresentação. Esta é uma boa forma de fazeres com que o recrutador olhe para o teu currículo com mais atenção, conhecendo a tua carreira e a sua experiência profissional.

 

7. Cuidado com os erros ortográficos

Cerca de 46% dos currículos que chegam às empresas contêm erros ortográficos. Por isso mesmo, tenhas atenção ao que escreves e leias várias vezes o que escreveste de forma a que não tenha nenhum erro na tua carta de apresentação ou currículo.

 

 

Como escrever uma carta de apresentação em sete passos simples
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
1k

Seis passos para conseguires o teu emprego de sonho

Sempre sonhaste em trabalhar numa determinada empresa ou em desempenhar uma função, mas acabaste por tomar outro rumo? Para a maior parte das pessoas, entre um emprego que pague as contas e a carreira que sempre ambicionaram vai uma grande distância. Se estás a pensar em mudar de trabalho ou em perseguires o teu sonho de ir para determinada empresa, conhece algumas dicas para atingires este objectivo.

 

1. Saiba onde queres chegar

Primeiro é importante que saibas onde queres chegar. Se tens algumas empresas em mente, mantenha-as “debaixo de olho” e esforça-te para chamar a tua atenção, mesmo antes de iniciares o processo de candidatura. Ao fazeres este trabalho com alguma antecedência, estarás a aprofundar o teu conhecimento sobre a organização, como funciona a sua metodologia de recursos humanos, quais os valores apreciados e as áreas em que estão a apostar mais. Este trabalho será apreciado, caso chegues a uma fase da entrevista.

 

2. Objectivo: conseguir o emprego de sonho

Todos os anos deverás estabelecer um plano para a tua vida profissional: queres subir na carreira, aprender uma nova competência ou mudar de empresa? Define este objectivo antes do ano começar e faz tudo para lá chegar. Se consideras que chegou a altura de ir trabalhar para a empresa que “anda a namorar” há algum tempo, define esta meta e partilha esta ideia com alguns amigos, que poderão ajudar-te a manter-te focado no objectivo.

 

3. Segue as empresas nas redes sociais

Facebook, Twitter, Linkedin, Instagram ou Pinterest. Existem inúmeras redes sociais em que a empresa em questão poderá estar presente, apenas terás de descobrir quais. Passe a segui-las e presta atenção às suas atualizações, quais as notícias que publicam, as novidades que apresentam e que tipo de linguagem utilizam para comunicar com os seus seguidores. Muitas empresas recorrem a estas plataformas para encontrar talentos, nomeadamente, o Linkedin. Se vai recorrer às redes sociais para dar um passo em frente na carreira, é importante que tenhas alguns cuidados com o teu perfil ‘online’: assegure-te que não publiques nenhum conteúdo inadequado e que passa uma imagem profissional.

 

4. Coloca o ‘site’ nos favoritos

Muitas empresas têm no seu ‘site’ uma secção de “carreiras” ou “ofertas de emprego”, que está reservada à colocação de anúncios de trabalho para a companhia. Se colocar esta página nos teus favoritos – os ‘sites’ a que acedes com regularidade – poderás deparar-te com a oportunidade que estava à espera e candidatar-te.

 

5. Delineie um cronograma

Uma bolsa de emprego, um estágio profissional ou um emprego sazonal. Se sabe que a empresa para a qual queres trabalhar abre concursos periodicamente, faz uma lista numa folha de Excel com as datas mais importantes às quais deves estar atento. O próximo passo é ativares uma notificação recorrendo a uma aplicação ou a um calendário ‘online’, para não deixares escapar nenhuma data relevante.

 

6. Faz ‘networking’

Estar atento aos anúncios nos ‘sites’ e redes sociais é importante, mas não é tudo. Existem muitas vagas de trabalho para preencher que nunca chegam aos ‘sites’ de emprego ou à área “ofertas de trabalho” da página da empresa. Isto acontece porque as vagas são preenchidas antes de chegarem ao conhecimento público. Por esse motivo, o ‘networking’ é uma das ferramentas mais importantes para encontrares o teu emprego de sonho. Aproxima-te de pessoas que trabalham na empresa que pretendes alcançar, mostra interesse no trabalho, dê a entender que estarias aberto a mudar de companhia e pede para seres informado caso abram alguma vaga para uma posição nesta empresa.

 

Seis passos para conseguires o teu emprego de sonho
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
1k

10 maneiras de procurares emprego de forma eficaz

Se estás a procurar emprego, conhece aqui as táticas que deves guiar a tua busca.

 

1. Esteja presente no LinkedIn

Apostar nas redes sociais pode ser uma boa forma de manteres-te a par do mercado de trabalho. Além de algumas ofertas estarem presentes nesta rede social dedicada aos profissionais, ter o teu perfil actualizado e com descrições do que já fez pode ajudar o teu futuro empregador a conhecer melhor a tuas qualificações e competências.

 

2. Aposte no ‘networking’

Estabelece contactos com colegas e amigos e informe-os que estás à procura de trabalho. Se tiveres um perfil activo no LinkedIn tenta também entrar em contato com responsáveis de empresas de recrutamento ou responsáveis da empresa onde gostavas de trabalhar. Pede conselhos e dicas que possas implementar na tua procura de emprego.

 

3. Procura nos sítios certos

Nos tempos que correm existem vários locais com ofertas de emprego. A internet tem sido o local de excelência para a divulgação de ofertas. No entanto, é necessário que tenha em conta que muitas ofertas não são verdadeiras. Por isso, responde apenas a ofertas que estejam em sites credíveis, como os sites das agências de recrutamento e que divulguem o nome da empresa.

 

4. Esteja atento às ofertas de emprego

Dedique uma ou duas horas do teu dia para pesquisar as várias ofertas de emprego. Pesquisa na internet, nos jornais diários e semanários. Procura também visitar o Centro de Emprego da tua área de residência.

 

5. Actualiza os seus conhecimentos

Se estás sem emprego, aposta na tua formação. Opta por formações e ‘workshops’ para fornecer o teu currículo de vantagens diferenciadoras face aos outros candidatos. Se preferires, podes ainda optar por obter uma licenciatura ou mestrado. O importante é que estejas a par do que se passa no mercado de trabalho, em particular na tua área de especialização.

 

6. Cria um CV marcante

Com um mercado de trabalho cada vez mais competitivo é importante que o teu ‘curriculum vitae’ se distinga do dos outros candidatos. Olha para o teu currículo como um instrumento que irá mostrar ao teu futuro patrão, o porquê de contratar-te. Lista as suas principais competências e experiência mais relevante, bem como as tuas ‘soft skills’.

 

7. Escreve uma carta de apresentação

Muitas ofertas de emprego pedem que envie em conjunto com o teu CV uma carta de apresentação ou motivação. É imperativo que escrevas uma carta de apresentação que reflita o espírito da empresa e que seja entusiasmante de forma a despertar curiosidade sobre o teu currículo.

 

8. Pesquisa sobre a empresa

Antes de concorrer a uma oferta de trabalho, pesquisa informações sobre a empresa a que te candidataste. Lê o site da empresa, bem como as redes sociais em que ela está presente. Informa-te sobre as políticas internas da empresa, de forma a adequares o teu discurso e a sua forma de vestir.

 

9. Segue as regras de ouro antes de ir a uma entrevista de emprego

Se fores chamado para uma entrevista, encare-a como um exercício que poderá ser repetido várias vezes. Esta é uma forma de poder aprenderes com esta experiência caso não sejas chamado para ocupar a vaga oferecida.

 

10. Mantenha-te entusiasmado e motivado

Receber muitos “nãos” numa altura em que se estás mais sensível pode ser devastador. O importante é que mostres entusiasmo e motivação nas entrevistas de emprego. Fala de forma confiante e tenta convencer o recrutador que és a pessoa mais habilitada para exercer a função a que te candidatas.

 

 

10 maneiras de procurares emprego de forma eficaz
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
1k

10 maneiras de transformares o teu estágio em um emprego

Existem muitas estratégias que os estagiários podem colocar em prática durante este tempo em que estão integrados no dia-a-dia de uma empresa para tentar garantir que a sua presença laboral passe de temporária a permanente.

Saiba como transformar o teu estágio num emprego, seguindo as dicas propostas pelas revistas Forbes e Time.

 

1. Escolhe o estágio adequado ao teu perfil

Para começares, tenta estar atento a estágios adequado as tuas competências, formação académica e experiência profissional prévia, caso a tenhas. É importante também avaliares o trabalho a desenvolver durante o estágio. Muitas vezes, as empresas pequenas ou médias, com falta de colaboradores, podem oferecer as melhores oportunidades de progressão na carreira e transição para um emprego pós-estágio. Se possível, tenta falar com pessoas que passaram pelo mesmo estágio para avaliar a sua experiência a nível laboral.

 

2. Concentra-te no trabalho

Um dos maiores erros durante um estágio é não te aplicar ao máximo no trabalho que tens em mãos naquele momento e estares já a pensar qual será o teu próximo estágio que vai te dar passagem directa para uma posição permanente numa empresa. Em vez disso, concentra-te no momento presente: executa as tarefas que te são confiadas de forma competente e no prazo previsto; mostra-te sempre disponível e capaz de trabalhar em equipa; constrói a tua reputação e mostra que podem confiar em ti.

 

3. Seja avaliado

Apesar de a tua atenção estar focada no trabalho presente, deves manter sempre o futuro em mente e a possível conversão do seu estágio num emprego. Sabendo que muitas empresas aproveitam os seus programas de estágio como forma de recrutamento, informa-te sobre os passos necessários a dar na fase pós-estágio, já que isto mostrará ao potencial empregador que está interessado na empresa. Se o processo estiver formalizado, com avaliações intermédias e finais, informa-te sobre estas mesmas avaliações e prepara-te para as mesmas. Se existirem vagas abertas na empresa não hesite em candidatar-te.

 

4. Receba ‘feedback’

Mesmo que a empresa onde estejas a estagiar implemente um processo formal de avaliação, solicita ‘feedback’ regular sobre o teu trabalho e não espera que o estágio chegue a meio ou ao fim para saberes o que pensam de ti e do teu trabalho. Nas primeiras semanas, pede ‘feedback’ semanal e tenta melhorar o que não estiver bem. No momento de te candidatar a um emprego permanente esta avaliação do teu estágio será preciosa.

 

5. Expande a tua rede de contactos

Assim que o estágio começa, luta contra a timidez e fala com os seus colegas de trabalho. Aproveita o estágio como uma boa oportunidade para fazer ‘networking’ e alargar a tua lista de contactos, que te serão úteis no futuro para progressão na carreira. Sejam profissionais mais séniores ou colegas de estágio, todos são contactos vitais para obteres uma referência ou recomendação para uma determinada posição dentro da empresa. Uma boa forma de alargar os teus contactos é participar nos eventos organizados pela empresa e falar com pessoas fora da sua equipa.

 

6. Não tenhas medo de fazer perguntas

Mais uma vez, liberta-te da timidez e sempre que tenhas uma dúvida não tenha receio de colocá-la. Ande sempre com um caderno de notas para nunca te esqueceres do que te é pedido ou transmitido. Não faz de conta que sabe algo só para impressionar, admita as tuas dúvidas. Encare o teu estágio como uma entrevista de emprego mas acima de tudo como uma experiência de aprendizagem. Faz perguntas e utiliza depois os conhecimentos adquiridos no contexto adequado.

 

7. Estabelece metas

Logo no início do estágio, faz uma reunião com o teu chefe ou orientador e estabelece as metas e os objectivos para o período de estágio. Discute quais os projectos que gostarias de realizar e as competências que esperas adquirir. Tenha sempre uma atitude positiva face ao trabalho, mesmo que algumas tarefas não te agradem a 100%. Se provar que consegue realizar as tarefas menores, em breve te darão mais responsabilidade.

 

8. Seja assertivo

Aprende o máximo que conseguires durante o teu estágio, mantendo-te ocupado com vários projectos e oferecendo-te como voluntário para diferentes tarefas. Se pedirem ajuda para algo, mostra-te disponível. Não se limite à tua equipa ou ao teu departamento, procurando obteres mais experiência em várias áreas da empresa. Prova que estas a altura das responsabilidades de um trabalho permanente e a tempo inteiro.

 

9. Seja profissional

Independentemente da idade ou da juventude, um ambiente profissional exige uma conduta igualmente profissional. Respeita o código de vestuário da empresa e o horário de trabalho. Trata todas as pessoas com respeito e profissionalismo. Deixa a tua vida pessoal em casa e não te distraias com a internet ou as redes sociais. Não seja demasiado emotivo.

 

10. Candidata-te a um emprego permanente na empresa

Na hora de terminar o estágio não tenha receio de candidatar-te a um emprego permanente na empresa que o acolheu nos últimos meses. Informa o teu chefe ou orientador de estágio que desejas integrar a equipa e defenda as tuas competências e a tua prestação durante o estágio. Não vira as costas sem esgotares todas as possibilidades de integrares a empresa.

 

10 maneiras de transformares o teu estágio em um emprego
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
2k

7 Maneiras para acelerares a entrada no mercado de trabalho

No calendário, o ano só muda em dezembro mas, para muitos recém-licenciados, a vida nova começa agora, quando o curso superior termina. Para que o que aí vem seja um sucesso, reunimos sete estratégias que os jovens podem pôr em prática.

 

1. Começa cedo

Se já terminaste o curso e ainda não fizeste nada para te inteirar do que se passa no segmento específico do mercado de trabalho onde queres fazer parte, já vais um pouco tarde. É que uma das principais estratégias deve ser colocada em prática ainda antes de o curso terminar.

Isto permite que não deixes passar, por exemplo, os prazos de inscrição em ‘workshops’ relevantes na tua área, ou em programas de formação preparados especificamente pelas empresas, muitos deles em parceria com as universidades.

O ideal é mesmo é frequentar algum destes cursos ou actividades durante o período da licenciatura. Desta forma, quando terminares o curso os candidatos a um novo emprego têm como demonstrar aos potenciais empregadores que são dinâmicos.  Mas se só agora despertaste para o assunto, nem tudo está perdido. Há mais seis estratégias para ti.
 

2. Valoriza as experiências extracurriculares

É importante preparar um bom currículo, Mesmo nos casos em que quase não há nada para dizer? Sim, é natural que um recém-licenciado não tenha muito para colocar no CV.  Mas é por isso que vale a pena apostar nas experiências extracurriculares que demonstrem dinamismo. Ou seja, empregos em ‘part-time’, voluntariado, participação em associações estudantis ou nas chamadas “empresas juniores”, isto é, microempresas criadas pelos estudantes, devem ser destacadas no currículo.
 

3. Antes de ires a uma entrevista, faz o trabalho de casa

Há regras básicas a ter em conta numa entrevista de emprego. A primeira é saberes sobre a empresa que vais. Informa-te sobre a empresa para demonstrares que fizeste o trabalho de casa.  Um candidato que desconheça a actividade da empresa ou o cargo a que se propõe perde pontos. Mas um entrevistado que demonstra curiosidade, bom senso e que saiba fazer uma ou outra pergunta sobre a actividade da empresa soma vantagens.  Além disto, convém não falhar, por exemplo, o código de vestuário. Estas coisas contam, há que ter alguma precaução com o que se veste. A segunda regra a não esquecer é ser autêntico.

 

4. Aprende outros idiomas

Aprender outro idioma é uma boa solução para ocupares o tempo entre a saída da universidade e o primeiro emprego. Estes conhecimentos, são cada vez mais valorizados. Há que fazer uma aposta intensiva nos idiomas, nomeadamente no inglês, que cada vez mais é um requisito eliminatório na escolha de candidatos. Pela mesma ordem de ideias, é preciso tornar bem claro no CV qual é o teu grau de domínio dos diferentes idiomas.
 

5. Investe nas redes sociais

Cada vez mais as redes sociais são campos de pesquisa obrigatória para as empresas que querem recrutar. Há uma que se destaca: LinkedIn. É preciso perderes algum tempo a construíres um perfil completo e interessante, estas plataformas aumentam o espectro de possibilidades de contacto. Activa todos os canais de networking, lembrando que as candidaturas espontâneas e as cartas de apresentação a empresas valem a pena.

 

6. Aproveita os estágios

Não desvaloriza o teu estágio curricular, nem as possibilidades de estágios profissionais. São muitas vezes portas de entrada para as empresas uma vez que permitem que empregador e trabalhador se conheçam, sem compromissos definitivos de ambas as partes.  Se a experiência for boa e a oportunidade aparecer é possível que progressivamente os estágios se transformem numa relação contratual menos precária.

 

7. E se não der certo?

Se tudo falhar, não desanima. E não fica parado. É verdade que aceitar um emprego menos qualificado ou fora da tua área de formação denuncia que não estas a conseguir a colocação que desejavas. Mas isto é preferível do que ficar sem fazer nada.

 

7 Maneiras para acelerares a entrada no mercado de trabalho
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
1k