Conheces os 4 níveis da leitura?

Já ouviste falar que não existe nada melhor que uma boa leitura? E sabias que esta boa leitura possui níveis diferentes de compreensão? Pois é, quanto mais aprenderes a lidar com cada um dos chamados 4 Níveis da Leitura, mais prazeroso será desfrutares um bom livro.

Existem 4 níveis de leitura: todos igualmente importantes porque permitem-te avançar de um para o outro. Numa altura em que passas grande parte dos teus dias a ler, descobre como aperfeiçoar esta arte e pô-la a trabalhar para ti.

 

1. Leitura Elementar

O nível mais básico da leitura é apresentado nos primeiros anos escolares. Há quem aprenda mais fácil e rapidamente a ler do que outros mas, regra geral, todos sabem ler a partir da escola primária.

 

2. Leitura Inspecional

O segundo nível de leitura é quando rapidamente passamos os olhos por algo para determinar se merece ou não uma leitura mais aprofundada. Aqui existem dois tipos de leitura:

  • Leitura em Cruz– É literalmente isso mesmo, lermos “na diagonal”, nomeadamente títulos, subtítulos, bolds, citações, listas, índice, sinopses das costas dos livros e outras partes dos textos mais chamativas. Este é um excelente método de filtragem, mas para ser bem aproveitado tem de ser realizado com algum tempo.
  • Leitura Superficial– Tal como o próprio nome indica, esta é uma leitura leve onde, de facto, lê, mas sem parar para refletir, para voltar atrás ou pesquisar algum conceito que não tenha percebido de imediato. Esta primeira leitura superficial é a preparação para uma leitura muito mais aprofundada, se chegar à conclusão que o artigo ou o livro em questão o merece.

 

3. Leitura Analítica

Este terceiro nível é, por si só, um novo e importante passo na arte de aperfeiçoar as tuas capacidades de leitura. Quando chegares a este ponto, deixaste para trás a leitura superficial e a simples absorção de informação para pores o teu pensamento crítico a trabalhar, ou seja, vais mais longe e queres perceber os significados mais profundos do texto. Mas atenção, terás de aperfeiçoar a tua leitura inspecional antes de poderes dedicar-te em pleno à leitura analítica. Para realmente perceberes um livro, de princípio ao fim terás de cumprir alguns princípios básicos, tais como:

  • Identificar e classificar o assunto como um todo
  • Dividir o livro nas suas principais partes, esquematizando estas
  • Definir o(s) problema(s) que o autor está a tentar resolver
  • Perceber bem os termos e palavras-chave do autor
  • Assimilar a importância daquilo que o autor está a propor
  • Conhecer os argumentos do autor
  • Determinar se o autor resolve ou não o(s) problema(s) que apresentou
  • Apontar os locais onde o autor está pouco ou mal informado, ilógico ou incompleto

 

4. Leitura Sintópica

Ler vários livros sobre um único assunto pode, de facto, tornar-te num especialista no assunto mas, o verdadeiro impacto estará na forma como lê todos esses livros. E é aí que entra a leitura sintópica. Enquanto uma leitura analítica de dez livros sobre o mesmo tema vai fazer de ti um especialista naquilo que aqueles dez autores tinham para dizer, uma leitura sintópica vai permitir que desenvolvas a tua própria perspetiva sobre o assunto, o que te pode tornar um especialista na área. No fundo, a leitura sintópica não é mais do que uma mistura inteligente daquilo que lês, com as tuas experiências de vida e com toda a informação e conhecimento que tens vindo a acumular ao longo da mesma. É toda esse pacote que te vai permitir criar ligações, opiniões e ideias inesperadas e inovadoras. É assim que um leitor se torna num verdadeiro especialista. Uma boa leitura sintópica é constituída por cinco passos essenciais:

  • Inspeção– Voltamos à leitura inspecional, simplesmente porque é ela que te vai ajudar a escolher os dez ou vinte livros que precisa de ler de uma imensidão de obras que certamente existem sobre o mesmo tema. A partir daí é importante que identifique, de forma rápida e eficaz, quais as partes mais pertinentes ao assunto que pretendes focar.
  • Assimilação– Segue-se a leitura analítica que te vai permitir identificar a linguagem (termos e palavras-chave) utilizada por cada autor, assimilando-a numa só linguagem que tanto pode ser a de um desses autores, como uma terminologia desenvolvida por ti.
  • Perguntas– Agora é importante focar a procura das respostas para as tuas próprias perguntas, ao contrário da importância inicialmente dada aos problemas que o autor está a tentar resolver no seu livro.
  • Assuntos– Cada vez que fazes uma boa pergunta, expões um novo assunto e é por isso mesmo que os especialistas têm muitas vezes respostas diferentes e até contraditórias para a mesma questão. Agora é precisamente aqui que está o ganho: quando conseguires perceber as múltiplasperspetivas de um único assunto (baseado em tudo aquilo que lês claro está), vais poder discutir inteligentemente o tema e definir as tuas próprias conclusões. Se forem muito distintas das opiniões das restantes pessoas, tanto melhor – aviva e prolonga a discussão!
  • Conversar– O aspeto mais importante da leitura sintópica não é descobrir a verdade, mas sim fomentar a conversa e a discussão saudável sobre o mesmo assunto: é aí que reside todo o valor acrescentado! E num grupo de discussão, é a grande diferença entre quem está bem informado e quem acha que está bem informado!

 

Conheces os 4 níveis da leitura?
Não seguro para
"Clique aqui para mostrar
1k